Limburg an der Lahn

Limburg é bonita mas não tem muita coisa para fazer lá. A atração principal é a catedral, que é maravilhosa por fora, porém, assim como todas as outras catedrais e igrejas que vi na Alemanha, por dentro não tem nada de especial nem atrativo. Comparando com igrejas que vi na França, por exemplo, as igrejas alemãs são muito feias por dentro.

Passeando pela beira do rio, vimos uma placa de concreto que mostrava o nível do rio desde 1255 até 1927. Fiquei abismada ao ver que o nível do rio antigamente era no mínimo 3 metros acima do nível atual.

Uma coisa que nunca vou me esquecer de Limburgo foi o tratamento que recebi. Durante essa viagem toda, o tratamento que recebemos na Alemanha foi variável. Em alguns lugares nos trataram bem, em outros nos trataram com desprezo. Limburgo foi no entanto o único lugar onde eu fui xingada e ofendida no meio da rua. Xenofobia pura. De repente entendi a mentalidade que Hitler tanto explorou.

No dia seguinte de manhã, iniciamos nossa volta para a Dinamarca, mas como tínhamos que dirigir em torno de mil quilômetros, Carsten pediu que dividíssemos o trajeto em dois dias. Por isso pernoitanos em Hannover, que ficava no meio do caminho.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *