Kulturnatten 2015

Ontem, sexta 9 de outubro, foi a noite da cultura de Copenhague. Tem todo ano e as ruas ficam cheias de gente.

A primeira vez que eu participei foi em 2011 e eu até escrevi aqui no blog como foi.

Como a noite da cultura sempre acontece uns poucos dias antes do meu aniversário, eu comecei uma tradição: nesse dia eu e Carsten jantamos numa boa churrascaria argentina e depois caminhamos um pouco pela cidade vendo o movimento.

E foi exatamente isso que fizemos. Dessa vez provamos uma churrascaria diferente e caminhamos por outros cantos da cidade. Descobrimos que tem um mercado lá no centro que serve especialidades. Alguns “tapas”, alguns sanduíches especiais e até comida japonesa feita na hora.

Achei muito interessante. Acho que ano que vem, para sair um pouco da rotina, vamos nesse mercado, quem sabe provar o famoso sanduíche de pato, na barraquinha do francês.

O ponto forte da noite de ontem ocorreu num quiosque onde estávamos aguardando nossa vez para comprar um chiclete. O cidadão na nossa frente, turista falando inglês, perguntou para a atendente onde era a noite da cultura e ela não sabia dizer.

Eu fiquei indignada. Eu acho que ela não queria perder tempo dando informação, porque não é possível não saber “onde é a noite da cultura”, já que ela acontece na cidade inteira!

Eu me intrometi na conversa deles dizendo para ele que era na cidade toda e que ele podia comprar um catálogo das atrações (que são mais de 200) nos quiosques do Seven-11.

Tá bom, sei que não se deve se meter na conversa dos outros, mas eu não aguentei. Seria uma pena eles perderem de aproveitar a noite da cultura.

Kulturnatten - Mozilla Firefox_2015-10-10_14-56-31Imagina, há vários lugares em Copenhague que só abrem para o público nessa noite. São lugares como a penitenciária, o castelo da rainha, o banco central da Dinamarca, vários museus, os laboratórios do hospital do reino, os calabouços do castelo Christiansborg (onde fica o parlamento)… e você pode visitar quantos lugares quiser, pagando uma pequena taxa para comprar o passe da noite da cultura. E se você tem o passe, pode se locomover de um lugar para o outro usando transporte público, quantas vezes quiser, sem pagar nada por isso. Não é genial?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *