Mudança

Vou fazer minhas malas para ir morar na Ilha da Madeira!
Brincadeira. Vou não. Ainda não.

O artigo de hoje é sobre gostos. Pois nesses dias eu estava pensando sobre como as coisas mudam, sobretudo, como nossos gostos mudam. Gosto pra estilos musicais, estilo de roupa, estilo de vida, e claro, gosto de comida. Incrível como o paladar muda com o tempo.

Lembro de quando era criança, escutava o povo dizer: quando a gente fica mais velho, os gostos vão mudando. E o pior é que tenho que dar razão a esse povo.

Quando pequena eu detestava abobrinha, manga, pimentão, fígado.
Adorava brócolis, rabada, dobradinha.

Brócolis ainda é a verdura que eu mais gosto. Curiosamente, eu passei a gostar muito de abobrinha.

Pimentão não vai de jeito nenhum. Todo mundo diz que “mas é tão docinho!”. Só se for na boca de vocês, porque na minha, é muito amargo. Não vai de jeito nenhum! E na Dinamarca eles colocam isso em tudo. Estou sempre tirando pedacinhos de pimentão de saladas, cuscuz, sanduíches, ensopados. Aff.
Mas engraçado, é que o tempero chamado páprica, que é feito de pimentões, esse eu consigo comer e até gosto.

Fígado nunca mais tive coragem de provar, confesso. Aqui na Dinamarca, de vez em quando, provo um pedacinho de um prato nacional feito com fígado de porco com bacon. Um pedacinho dá para encarar. Dizem que fígado tem muito ferro, que é bom pra saúde. Como aqui não se come feijão, outra fonte de ferro, então um pedacinho de fígado uma vez ao ano não vai me matar.

Manga eu passei a gostar e lembro exatamente o dia em que isso aconteceu. Quando eu tinha 15 anos, visitando uma coleguinha da escola. Lembro que a mãe dela me ofereceu suco de manga, e para não ser mal-educada, eu aceitei. E fiquei muito surpresa ao perceber que eu gostei.
Agora, aquele monte de fiapo, não é a coisa mais fácil de comer. Ainda bem que fizeram umas mudanças genéticas na fruta, e tiraram aquela fiaparada. (fiaparada? existe essa palavra?)

Bom, o fato é que desde então, manga entrou pra minha vida.

Agora, rabada e dobradinha, só indo ao Brasil pra comer, porque aqui não acha pra vender. (se bem que eu encontrei rabada uma vez, faz uns 10 anos, mas eu não soube preparar. não ficou bão, não)

Infelizmente, morando em um país de clima temperado, há muita coisa que temos no nosso Brasil tropical que eu não acho por aqui. No início a gente sente falta, mas com o passar dos anos, a gente vai se adaptando à nova realidade.

Por sorte aqui tem umas frutas boas também, como cereja e damasco e uns tipos de ameixa que deixam a gente com água na boca. Então dá para encarar.

Agora, o que sinto falta mesmo é de um bom mamão.

E vocês, também passaram a gostar de coisas que não comiam quando criança?

2 thoughts on “Mudança

  1. Uma vez assisti um cara que rodava o mundo devorando comidas exóticas, em um dos episódios ele foi numa comunidade cigana e comeu, tripa, bucho sangue, etc, e tal, e alguns até crú, e lambia o beiço, e gritava divino, no próximo episódio foi no Brasil e um cara levou ele no morro da Rocinha e comprou pra ele uma coxinha (COZINHA), de novo COXINHAAAAAAA, o danado recusou a comer com nojo, hehehehe.
    não sabe o que é bom, mas acho que ele deve ter visto barata no barzinho do titio, pois o lugar era de dar medo, hehehehe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *