Apê

Eu acredito em energia. E acredito que matéria pode absorver nossa energia.

Dizem que o clássico exemplo disso é a casa onde moramos.  Ouvi dizer que, quando você vender a sua casa, que você deve fazê-lo com um sentimento de desprendimento no coração, para deixar uma boa energia na casa. Se sair de lá com o coração apertado, com arrependimento, deixará uma energia ruim na casa que não trará boa sorte para quem lá for morar. Eu acredito nisso.

Agora que você sabe meu ponto de vista, deixe-me contar o que me aflige. Acho que estou no meio de um redemoinho energético deixado no apartamento onde moro.

Mês que vem fará três anos que estou nesse apartamento. Nunca pensei que ficaria por tanto tempo nele, pois o preço do aluguel é bem salgado e porque, durante o primeiro ano que morei ali, era problema em cima de problema. Cheguei a fazer uma reza brava e passei sal grosso nesse apartamento. Juro.

Foram mais de 10 problemas só nos primeiros 7 meses.
Para fazer uma comparação:

  • Morei num apartamento em Curitiba por 8 anos, e só tive 3 problemas.
  • Quando me mudei para a DK, morei num apartamento por 4 anos e nenhum problema.
    E detalhe, esse apartamento era num prédio construído no final dos anos 1800.
    BEM velhinho. Nenhum problema.

Onde moro agora, o prédio foi construído em 2010, super novo, mas olha só o que já me passou:

Assim que me mudei

A descarga longa não funcionava
O suporte que segura o chuveiro estava quebrado
A torneira da pia da cozinha pingava
Havia um buraco na bancada da cozinha

Passados uns dias, cheguei em casa, e o vidro do janelão (mais de 3 metros de altura) estava rachado, e a cada dia a rachadura aumentava de tamanho. Tive medo de que aquela janela fosse quebrar.

Passaram uns dias, eu achei narcóticos escondido na sacada do apartamento. Chamei a polícia e tudo. Fiquei neurótica com medo de que viessem no apartamento atrás da droga.

Uns meses mais tarde, convidei umas meninas para comemorar o halloween comigo e preparei uma comidinha caseira pra gente. No dia seguinte, percebi que o vidro-cerâmico do fogão estava com uma rachadura de mais de 30 cm. Eu nem sei como isso aconteceu. No dia anterior estava bonzinho.

Ao mesmo tempo, a geladeira/freezer começou a bipar o tempo todo. Alarme indicando temperatura alta no interior do freezer.

Depois foi a máquina de lavar roupa que deu pau.
Então a pia do banheiro começou a pingar.
Depois a ventilação do banheiro quebrou.
Depois o chuveiro só tinha água fria. Tinha água quente nas outras torneiras, mas o chuveiro não queria que eu tomasse banho quente.

Todos esses problemas foram consertados ou solucionados pela administradora do prédio. Muito bom, mas o incômodo e estresse é, mesmo assim, grande.

Então um dia, estou eu deitada na minha cama, e noto uma mancha amarelada no teto.
Uns dias mais tarde, começou a formar uma estalactite de cálcio. Imediatamente reconheci que aquilo era infiltração de água.

Telefonei para a administradora do apartamento e sabe o que eles me mandaram? Um pintor! Me mandaram um pintor para pintar por cima de uma infiltração! Juro.

Ainda bem que, assim que a pintora (foi uma moça que veio me socorrer) passou a lixa, começou a pingar água em dois lugares diferentes do teto. Ficou pingando por dias, até que me mandaram um carpinteiro, que no final das contas, não conseguiu achar a fonte do problema e sugeriu montar uma caixa ao redor daquela infiltração. Sem comentários. Eu aceitei essa “solução”. Não é meu o apartamento mesmo. Quando a coisa estourar de vez, eu não estarei mais morando lá.

E eu achava que essa era a última coisa que tinha acontecido.
Um ano se passou e nenhum problema. “Enfim, paz” pensei, até que ontem de noite a coisa explodiu.

No meu banheiro tem, montado na parede, um desses espelhos de 2 metros por 1 metro e meio. Uns dois meses atrás, percebi que o espelho estava meio torto. Como demoliram o prédio do outro lado da rua, achei que alguma vibração tivesse movido o espelho. Deixei por isso mesmo, mesmo porque eu sozinha não tenho força para mover um espelho pesado desses.

Ontem cheguei em casa e vi que tinha um pedaço de metal solto sobre o espelho. Fui ver mais de perto, e percebi que o espelho estava escorregando dos ganchos que o suportam. Tirei umas fotos e ia escrever hoje para a administradora, perguntando se eles poderiam enviar alguém para me ajudar a colocar o espelho no lugar.

No meio da noite, fui fazer um pipi, e estou eu lá, linda, bela e formosa, sentada no trono fazendo meu xixi, quando esse espelho cai com tudo sobre a bancada, estoura, jogando pedaços e migalhas de vidro pra todos os lados. Então o espelho começa a inclinar em minha direção. Eu imaginei que ele ia cair no chão, terminar de quebrar em muitos pedaços e me atingir e me cortar toda. Em pânico, soltei um grito e muito rápido me levantei do vaso para me esconder atrás da porta.

Por sorte, a torneira do banheiro segurou o espelho e impediu que ele terminasse de cair na minha direção. Eu não me machuquei; ainda bem. Só uns estilhaços de vidro me alcançaram, mas nada grave. O mais grave que aconteceu foi que eu, ao me levantar, mijei por tudo: no chão, na calça do pijama arreada, chinelo, tudo.
Sempre achei que, em momentos de pânico, que todos os esfíncteres do corpo se fechassem, mas pude constatar que essa informação não é 100% correta.

Já mandei o email para a administradora do prédio. Vamos ver quanto tempo vai demorar para eles enviarem alguém.

Acho que isso foi a gota d’água. Cansei da energia destrutiva que tem nesse apartamento. Acho que chegou a hora de procurar por um outro lugar. Pena, porque esse apartamento tem duas belas sacadas, uma vista maravilhosa do pôr do sol, e fica a somente 7 minutos de caminhada do meu trabalho.

Esta entrada foi publicada em Cá entre nós, Coisas da Dinamarca. ligação permanente.

5 Responses to Apê

  1. Gabriela diz:

    Mulher do céu. Uma estalactite de cálcio, um espelho caindo bem quando está fazendo xixi, e todo o resto são MUITOS sinais ÓBVIOS para você sair daí faz tempo. Tomara que depois dessa última do espelho você corra atrás de outro lugar pois o Universo está te dizendo há tempos que não é para estar aí, que há algo melhor te esperando quando se desprender deste lugar. Isso é sério. Se tem uma coisa que aprendi na vida é que quando a gente tentar ficar em um lugar, ou em um relacionamento, ou em um emprego, etc… E sempre, SEMPRE, as coisas desmoronam, dão errado, por mais que você tente, SEMPRE algo de ruim acontece é porque não é para continuar tentando. Quando você está onde DEVE estar as coisas fluem em uma onda de energia positiva, independente de pequenas chatísses que irão acontecer de vez em quando, pois nada é perfeito. Mas é diferente! O sentimento de estar no lugar certo é muito maior, e a paz também.

    • Cristiane diz:

      Puxa Gabi, você tem razão. Eu vou começar a me agilizar. Confesso que estava empurrando com a barriga, porque custa caro se mudar (não a mudança em si, mas o depósito e calção que se tem que dar nos apartamentos e que a gente nunca recebe de volta integralmente quando se muda. Uma complicação), mas vou ver isso com urgência. Valeu por me dar esse toque e me fazer acordar!

  2. Atacado diz:

    to com medo,
    Posso te contar um segredo?
    vejo gente morta

Responder a Atacado Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *