Peste negra

Para comemorar meu aniversário, Carsten me convidou para um evento do museu Frilandsmuseum. Aparentemente, todo ano, para comemorar o Halloween, eles oferecem um passeio assustador.

Normalmente eu não sou fã de levar susto. Nem filme de terror eu não assisto. Mas aceitei, porque o tema era sobre a peste negra, e achei que seria interessante.

Foto do website do natmus

O passeio foi de noite. Isso é comum por aqui. Existe um negócio chamado “museu de noite” (natmus) e vários museus oferecem exposições e tours noturnos.

Eu não sei se comentei sobre o Frilandsmuseum antes. Faz muito tempo que não vou lá e definitivamente, nunca tinha ido lá de noite. Realmente, é assustador entrar naquelas casas de 1800 de noite, tudo escuro, teto baixinho, chão de pedras.

Não era permitido tirar fotos. Pena, porque os caras foram realmente muito criativos, vestidos com roupas antigas, máscara, e tentavam nos assustar. O que achei mais criativo foi a decoração que colocaram num moinho de vento antigo. Numa das hélices, penduraram pelo pescoço um boneco do tamanho de uma pessoa, dando a impressão de que alguém tinha sido enforcado lá no alto. Bem bolado.

Foto do website do Frilandsmuseum

Foi bem legal o tour, mas fiquei meio decepcionada porque não tomei nenhum susto. Como eu estava apreensiva que tomaria muitos sustos, eu estava sendo precavida de não ser a primeira a entrar nos lugares. Mesmo assim. As vezes a gente se assusta só em ouvir os outros gritarem e pularem de susto Mas eu não fui afetada. Só fiquei com medo uma única vez. Quando um dos caras vestidos de capa preta e com aquelas máscaras que os médicos da peste negra usavam, sabe, aquela máscara bicuda? Ele chegou bem perto de mim e apressou o passo, como se fosse me pegar.

Depois de passar por várias casas com gente “morrendo”, tossindo, almas penadas e afins, de repente nos levaram por uma trilha, e lá, na frente de uma casa mais moderna, tinha um cidadão sorridente nos aguardando com canecas de chocolate quente. Era o fim do passeio. Com direito a chocolate quente! Gostei.

Foi um passeio diferente. Ouvi dizer que ano passado o tour do Halloween deles estava muito mais assustador. Acho que esse ano eles deram um maneirada.

Foi legal, mas pena que o passeio é mais uma encenação para assustar. Não aprendi nada novo sobre a peste negra. Já que o evento é num museu, eu tinha expectativa que opasseio teria um lado educacional também. Enfim. Nada é perfeito.

Esta entrada foi publicada em Coisas da Dinamarca. ligação permanente.

7 Responses to Peste negra

  1. Seu Madruga diz:

    Bacana, quem sabe faça um passeio no museu daqui da cidade, faz um bom tempo que não vou.
    Peraí, vc disse Carsten? ainda estão se vendo? legal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *