Enigma

Estou encafifada com uma coisa. Lembram-se de quando eu comentei do meu vizinho da frente, que em 2014, de uma hora para outra, sumiu?

Eu escrevi sobre isso no post Novo destino (link abaixo)

Novo destino

Pois é, ele por seis anos nunca nem sequer podou a cerca viva na frente da casa – era o locador da casa que vinha fazer a poda, mas curiosamente nessa semana, quando eu cheguei em casa no fim da tarde, dei de cara com ele, o antigo vizinho, fazendo a poda da cerca viva. Achei muito estranho.

Foram dois dias que eu os vi, colocando o jardim em ordem. E o barulho e a gritaria das crianças dele, agora adolescentes, vieram junto. Lembro que eu perguntei para o Carsten se ele achava que a família voltaria a morar ali. Nós esperamos que não.

No dia seguinte apareceu a placa de vende-se.

Demorou, hein! Mais de dois anos a casa está às moscas. Depois do incêndio ninguém veio fazer restauração.

Fui no website ver quanto eles querem pela casa, e achei o preço caro. Está bem mais barato que todas as outras casas à venda nas redondezas, mas essa aqui realmente precisa ser demolida. Vamos ver quanto tempo vai demorar para vender.

Só para ter uma idéia da situação da casa, no site da imobiliária eles não colocaram nenhuma foto!

Resposta para meu enigma eu ainda não encontrei. O cara, enquanto morava na casa, nunca podou os arbustos, e justamente agora, depois de estar mais de dois anos fora do lugar, vem para fazer a poda? Não é estranho isso?

Vindo para DK

Se alguma das perguntas abaixo é a pergunta que não quer calar, então eu tenho uma sugestão:

  • Eu quero ir para a Dinamarca?
  • Como posso me preparar para morar na Dinamarca?
  • Vou ser expatriado para a Dinamarca, e agora?
  • Como é a vida em Copenhague?
  • Como funcionam as coisas na Dinamarca?
  • Será que vou me acostumar a morar na Dinamarca?
  • A Dinamarca é muito diferente do Brasil?

Imagino que há muitas outras perguntas, para quais as respostas podem ser encontradas em uma nova página de internet chamada “O livro Copenhague”. A página é em inglês e é voltada principalmente para expatriados, mas qualquer um que esteja vindo para ficar por um tempo prolongado, pode beneficiar das informações publicadas lá.

thecopenhagenbook.dk

Eu dei uma “folheada” rápida no website, mas vi que tem muita informação lá, desde como achar emprego para cônjuges de expatriados, passando por tratamento dentário, médico, seguros, banco e afins.

Clique em “Practical Info” para acessar a maioria das informações úteis.

Eu espero que essa dica ajude.

Cruzamentos 

Essa é a semana dos doidos cruzando o trilho do trem. Sem brincadeira, nas últimas 24 horas, vi três. Os dois de ontem foram em estações diferentes, no meio do dia,  e foram meninos jovens… e a gente sabe bem as bobagens que o povo faz durante a juventude. Mas o de hoje, bateu recorde e foi o que me fez decidir que um ato doido desses merecia uma postagem no blog.

O trem está chegando na estação e esse maluco pula no trilho, de bicicleta!

O maquinista enfiou a mão na buzina!

Juro que pensei que eu iria presenciar um dos atropelamentos de trem, que são comuns aqui, devido ao alto número de suicídios na Escandinávia.

Pensei, não vai dar tempo dele jogar a bicicleta na plataforma e dele pular em seguida.

Mas felizmente, ele conseguiu alcançar uma escadinha no fim da plataforma.

Uma loucura, um tormento para quem testemunhou.

Ainda se, para justificar esse ato, ele estivesse atrasado para pegar o trem,  e o único jeito fosse cruzar pelos trilhos, ainda daria para entender. Mas não. Depois de subir na plataforma ele andou bem devagar no sentido de uns homens, que tinham ar de serem desabrigados e moradores de rua, para conversar. Pode isso?

Gente doida.

Coitados desses maquinistas. Não é à toa que eles precisam de terapia e a companhia tem dificuldade de contratar gente.

O príncipe e eu

Durante uma atividade da minha empresa no centro de Copenhague, nosso grupo estava fazendo um foto-safari. É uma atividade, onde nos dividem em vários grupos, e cada grupo deve tirar 5 fotos. Há regras; por exemplo todos os membros do grupo devem aparecer em todas as fotos, ou perde-se pontos, mas ganha-se pontos se as fotos incluírem coisas especiais, como no caso:

  • um soldado segurando rifle
  • uma pessoa famosa
  • um animal selvagem
  • um castelo no plano de fundo
  • todos os membros do grupo dentro de um chafariz
  • todos os membros do grupo sobre uma bicicleta
  • todos segurando uma bebida

Tinha mais coisas doidas, mas isso é o que eu me lembro.

Eu adoro esse tipo de atividade, e foi pena que eu estava me recuperando da cirurgia, e não pude participar, pois eu não conseguia andar sem sentir dor, e não teria como andar pela cidade com o grupo, caçando lugares para tirar foto.

Mas eu fiquei de encontrar todo mundo na frente do castelo Amalienborg, que é onde a rainha mora. De lá, da doca do castelo, nós pegaríamos um barco para um passeio.

Quando passei pela praça do castelo, vi que a bandeira estava hasteada, e isso quer dizer que a rainha estava em casa.

Em seguida, quando cruzei a rua e estava me aproximando do jardim do castelo, onde tem a doca e um chafariz, eu vi o pessoal do meu grupo todo ouriçado, tirando fotos. Pensei que ele estivessem tirando foto dentro do chafariz, mas me enganei.

O que aconteceu foi o seguinte:

Esse grupo imprimiu uma imagem do príncipe da Dinamarca para ganhar pontos tirando uma foto com alguém famoso. As regras do jogo não especificavam se a pessoa famosa deveria estar presente em carne e osso, ou não.

Depois quando eles chegaram no jardim do castelo para aguardar a chegada dos outros, para tomarmos o barco, sabe quem eles encontram, com os filhos pequenos, passeando no jardim, na frente do chafariz? Sim, ele mesmo, o príncipe.

Sem nenhum segurança, andando tranquilamente com as crianças, só usando um boné e óculos escuros para não ser reconhecido facilmente.

Então entendi tudo. Eles estavam tentando tirar uma foto sorrateira, mas nunca iria funcionar, pois a regra do jogo dizia que todos os membros do grupo deveriam aparecer na foto.

Eu tenho certeza de que se eles tivessem abordado o príncipe e pedido para tirar uma foto, que ele teria concordado – pois ele é muito simpático, mas ninguém quis importunar porque ele estava com as crianças.

Então eles só tiraram fotos do príncipe de longe e me mostraram… a melhor foto, onde realmente dá para reconhecer que é o príncipe Frederik, é a foto abaixo que me mandaram por Instagram.

Ei, mas espera aí, eu estou reconhecendo aquela mulher atrás do príncipe, chegando na praça. Sou eu!!

IMG_20160511_194524

Jasona

Para quem não leu as postagens sobre a minha dupla cidadania, vou contar rapidamente. Finalmente virei dinamarquesa de verdade e semana passada chegou meu passaporte. Ele chegou justamente no dia em que eu estava em Berlim, passeando pela Alexander Platz e lembrando do filme Bourne Identity.

Com todas essas viagens que tenho feito, tenho em casa, espalhado sobre minha escrivaninha, dinheiro de vários países diferentes. Quando juntei a esse dinheiro o passaporte novo, eu me lembrei de uma cena do filme, onde aparece o passaporte verde brasileiro no topo dos outros, dinheiro de vários países e, claro, uma arma.

De brincadeira, tirei uma foto, incluindo o antigo passaporte verde, e postei no Face, dizendo que estava me sentindo como Jason Bourne… que eu tinha recebido minha “nova identidade” e que agora só me faltava aprender a lutar.

IMG_20160613_180555

Rapidamente vieram vários comentários, e não sei porque, ninguém se ligou na minha nova cidadania, mas estavam todos preocupados com a arma na foto. Alguns dizendo que eu estou maluca em postar uma foto de arma no Face.

E eu pensei. Que exagero. Para começar é uma arma de brinquedo. Segundo é uma brincadeira e não estou apontando a arma para ninguém nem ameaçando ninguém. Tem várias fotos no Face de crianças com seus pais, segurando armas de brinquedo, e eu não vejo ninguém comentando que “você está louco em postar uma foto de arma”.

Nossa senhora, onde foi parar o senso de humor das pessoas?

A foto e os comentários ficaram no meu Face por uma semana. Não tive nenhum problema com a administração do Facebook, não bloquearam o meu perfil, mesmo assim eu resolvi deletar o post e a foto, por causa dos comentários.

Uma pena, pois também havia comentários muito bons e divertidos, com gente me oferecendo aulas de capoeira, jiu-jítsu e afins. Outros dizendo que agora meu nome é  Jasona Bourna!

Tortura

Se você acha que é só no Brasil que o povo leva chá de cadeira esperando por transporte público, você se engana.

Faz mais de quarenta minutos que estou na estação de trem esperando, e nada do trem chegar. E não se tem previsão de quando o trem chegará.

O pior de tudo não é o tempo de espera, nem o povo fumando na plataforma (mesmo sendo proibido fumar), o pior são os anúncios constantes no alto-falante, que são repetidos de 3 em 3 minutos. É pior e mais irritante do que os anúncios no aeroporto de Guarulhos.
Eles ficam dizendo que o trem chegará em dois minutos. Faz quinze minutos que estão dizendo isso. Depois vem outro anúncio dizendo que tem atraso hoje. Só mensagem inútil.

Se esses atrasos acontecessem só de vez em quando, dava prata aguentar. Mas a impressão que dá é que toda semana tem um. Ou é falha no sinal, ou é um trem que encalhou numa plataforma (que é o caso de hoje), ou é algum suicida que se jogou na frente do trem e estão aguardando a polícia e ambulância chegarem, ou são problemas da estação do ano (neve nos trilhos, folhas de árvores nos trilhos, ou os trilhos estão muito quentes por causa do sol). Eles sempre encontram uma desculpa.
Sem falar naqueles dias que nada errado está sendo anunciado, o trem está no horário e prestes a chegar, quando eles anunciam que esse trem foi cancelado e não dizem o porquê. Então você vê o seu trem passar pela plataforma sem parar, e vc tem que encarar 20 a 40 minutos de espera pelo próximo. Dá mesmo vontade de se jogar na frente do trem!

(continuo esperando… tem tanta gente na plataforma que não terá lugar para todos)

Camarão

Enquanto o resto da Europa sofre, em pleno verão, com frio, chuvas torrenciais e inundações, na Dinamarca a gente sofre com um calor infernal.

O sol está tão quente que eu só tenho ficado na sombra. Com exceção de ontem.
Ontem resolvemos fazer um piquenique com forró no parque do castelo. Já não estava tão quente, dos 27, a temperatura baixou para 22. Dá para encarar, eu pensei.

Passei bloqueador no rosto,  pescoço e ombros, pus um vestido e fui.

Confesso que, sentada no sol, a impressão era de que estava bem mais quente que 22 graus. Estava eu na iminência de me sentar na sombra, quando escutei umas meninas que conheço, e que passaram o dia anterior todinho na praia tostando, dizerem que o sol daqui não tem potência. Que quando chegaram em casa, esperavam que estariam bem bronzeadas, mas que foi decepção, que não pegaram nem uma corzinha. Então desencanei e fiquei aproveitando o sol sem me preocupar.
Sem me preocupar em termos, pois eu fiquei pegando no pé de um dinamarquês, que havia esquecido o boné em casa, e já estava todo vermelho. Um típico gringo que vira um camarão depois de cinco minutos no sol.

De noite, quando tirei a roupa, foi quando eu vi que as meninas me enganaram dizendo que o sol daqui não queima.
Não acreditei na cor das minhas costas. 
Pimentão, camarão, lagostão… Pode chamar do que quiser. Minhas costas parece a bandeira dinamarquêsa, toda vermelha com uma tira branca no meio.

Olha, faz tempo que eu não me queimava desse jeito. Tive até que apelar para um gel de aloe vera para aliviar a queimação e poder dormir.

Ah, quando eu encontrar aquelas meninas novamente. Vou puxar a orelha delas por mentir para mim!

Derma

A falta de médicos na Dinamarca sempre foi alarmante, principalmente os especialistas. Pensem que há 10 dermatologistas em toda a região da Zelândia (que cobre um milhão e meio de habitantes, mais ou menos).
É um absurdo. O tempo de espera por uma consulta é de 3 a 4 meses, e nenhum deles tem de reserva um horário para pacientes com necessidade aguda de tratamento.
Escandaloso isso.
Só no bairro onde eu morava em Curitiba tinha mais de 20 dermatologistas. Num bairro só!

Como se a falta de médicos não fosse suficiente, eles tratam a gente como idiotas. Escuta essa.
Ligo e digo que estou com uma eczema que tem se espalhado, e que ela some e volta some e volta, e por isso seria ideal marcar a consulta quando as lesões estivessem visíveis, no caso, hoje.
A secretária disse que não podia fazer nada e que eu poderia tirar uma foto e trazer no dia da consulta.
Achei que fosse uma brincadeira de mau gosto, mas escutei isso de dois consultórios dermatológicos (pois eu liguei para trocentos, em busca daquele que tivesse um horário o mais breve possível).

Nossa senhora, se só por foto fosse possível dar um diagnóstico, deveriam então só ter médicos online daqui pra frente. É o fim da picada.
Pelo menos consegui a consulta para dia 28 de junho. Menos de um mês de espera, mas será fogo passar um mês com bolhas bem no meio da cara.

Supermercado

A rede de supermercado do Super Brugsen fez uma promoção dando kits gratuitos para grávidas e uma campanha de marketing bem interessante. Ao lado do scanner do código de barras, colocaram um scanner para as grávidas verem seu bebê. Achei muito bacana.

Aqui umas dicas para entender o que eles falam:

Hvor fedt! = Que legal!
Tillykke med det = parabéns, felicitações
Tak = Obrigada(o)
Nogle scanner varer, nogle scanner børn – alguns escaneiam produtos, outros escaneiam bebês

Frrrrrio

Semana passada estávamos todos comemorando a chegada da primavera, um sol lindo e 21 a 23 graus de “calor”. (Para os dina, à partir de 24 graus já é uma onda de calor infernal, enquanto eu continuo andando de blusa de manga comprida!)

Desliguei os aquecedores dentro de casa, que é o que eu normalmente faço quando a primavera chega. No entanto ontem de noite fui obrigada a ligar tudo novamente. O que aconteceu com a primavera? Domou Doril? Não é possível.

Será que o verão esse ano será como o de 2007 e 2008? Nesses anos não teve verão. Choveu e fez frio o verão todo.

Não é à toa que o povo daqui viaja durante o verão… para o sul (Espanha, Itália, França), para garantir um verão com sol e calor e renovar os estoques de vitamin D. Acho que é isso que vou fazer esse ano. Viajar!

 

 

O festival

Quando eu falo que danço forró, eu normalmente me deparo com 3 reações:

  • dos dinamarqueses que não sabem o que é
  • dos brasileiros que acham que forró é só safadeza, coisa de pobre e música de baixo nível
  • de forrozeiros europeus que estão acostumados a dançar há mais de 5 anos e que sabem que forró pé-de-serra são músicas de alta qualidade, e a comunidade do forró é muito respeitadora e o povo vai para dançar

Claro que há toda uma história do forró, mas as coisas evoluem.

13116122_1107097632686771_808947367431888781_oEu nunca pensei que uma dança mudaria tanto a minha vida.

Em seis meses minha dança melhorou bastante e eu não só danço e vou nos festivais, mas também faço parte do grupo de organização de um festival na Europa.

Claro que o nosso festival não foi tão grande como o de Paris ou Stuttgart, mas também não foi tão pequeno assim. Ficamos muito contentes de ver tanta gente. Vieram 21 nacionalidades.

Segue abaixo alguns vídeos das festas durante o nosso festival.

Vídeo do esquenta festival, gravado no barzinho onde a gente normalmente dança

 

Festa de sábado

 

Vídeo de agradecimento, com imagens da festa de domingo

Custo de vida

Hoje eu atualizei a minha planilha de orçamento e pela primeira vez que comecei a perceber o quanto se gasta com coisas a gente quase não usa, e o quanto se gasta com coisas que são muito importantes, como por exemplo, água.

Na minha casa a gente paga mais em seguro do que com a conta de luz.
Para quem está vindo para cá, aqui vão alguns valores aproximados – valores em coroa dinamarquesa por ano.

  • 2.500 DKK – licença do Dansk Radio
  • 3.500 DKK – água e esgoto
  • 7.000 DKK – aquecimento da casa
  • 10.000 DKK – eletricidade
  • 20.000 DKK – imposto sobre o terreno e coleta de lixo
  • 12.000 DKK – seguros

Licença do DR (Dansk Radio) é para ver os canais dessa emissora (de tv, rádio e computador) e é obrigatório mesmo que vc não assista tv ou escute rádio, que é o meu caso

Aquecimento da casa depende do tamanho da casa ou apartamento e tipo de aquecimento. Nós usamos gás natural, mas quem mora na cidade usa “aquecimento à distância”. A água quente que circula nos radiadores vem das usinas da queima de lixo urbano, e o preço é bem mais barato do que gás ou óleo. Lembro que quando eu morava em Copenhague o aquecimento de um apartamento de 40 m2 era menos de 2 mil por mês, e o de uma casa de 80 m2 era de 5 mil usando aquecimento à distância (fjernvarm)

Seguros obrigatórios são o da casa (incêndio e danos – não cobre furtos, que é um seguro à parte) e o do carro (responsabilidade em caso de acidente – cobre os danos no carro da outra pessoa, mas não no seu). Mas claro que vc vai fazer um seguro para proteger os objetos de valor da casa em caso de arrombamento. Se tiver um carro novo também é bom ter um seguro que cubra danos à carroceria. Nós não temos, porque o carro é velho, no entanto temos um seguro assistência, para virem nos socorrer se der pane no carro. 🙂 e já precisamos ativar o seguro algumas vezes. O da casa nós também ativamos quando passou um furacão aqui que levou embora o topo do nosso telhado.
O bom das seguradoras da Dinamarca é que não tem aporrinhação. Preenche um formulário e pronto. Depois vc encontra a pessoa para fazer o serviço e eles enviam a conta diretamente para a seguradora. Ponto final.

Se você paga aluguel, veja se gastos eletricidade, água e aquecimento estão incluídos ou são à parte.
Se mora em apartamento, o seguro contra incêndio é dividido por todos e vem na taxa do condomínio, assim como coleta de lixo e gastos com remoção de neve das calçadas.

Quem mora em casa é responsável por limpar a neve da calçada na frente da sua casa e espalhar sal. Se alguém cair e quebrar a perna na frente da sua casa por causa de neve ou gelo, você é responsável.

Os gastos com moradia são em torno de 50 mil mais hipoteca da casa ou aluguel, que facilmente pode acrescentar de 60 a 100 mil coroas (ou mais) a esse valor.

Pense que tem gente que ganha menos de 20 mil coroas por mês, ou seja menos de  240 mil por ano (aqui não existe 13º salário). Desse valor é descontado no mínimo 37% de imposto de renda, 8% contribuição à saúde pública e 1% aposentadoria pública.

Depois de pagar todas as despesas, no final do mês, talvez não sobre dinheiro para ir ao supermercado ou transporte.
Na DK o empregador não paga vale-transporte nem vale-refeição.

Quando vier para cá, se não tiver trabalho garantido, pode ser difícil de sobreviver. Pense nisso.