Todas as tribos

Estava eu escutando um programa espanhol, quando uma notícia me chamou a atenção. Antes de contar a história, eu gostaria de lhe perguntar: Você já ouviu falar de Jogos Olímpicos? Copa do Mundo? Claro que sim. Até mesmo se eu perguntar, se você já ouviu falar de Olimpíadas de Inverno, mesmo o Brasil não participando muito dessas competições, você provavelmente também dirá que sim.

Agora vem a pergunta do século: Você já ouviu falar dos Jogos dos Povos Indígenas? Hmm? Se a resposta for sim, você saberia me dizer de quanto em quanto tempo acontecem os Jogos Indígenas? De 4 em 4 anos como as Olimpíadas e a Copa? Quais são as modalidades da competição? Quantas tribos participam? Você pode se sentar confortavelmente no seu sofá com uma pipoquinha e acompanhar os jogos?

jogosindigenasSe você, assim como eu, não sabe a resposta para a maioria dessas perguntas, não se aflija. Isso serve para mostrar o poder da mídia brasileira, como eles podem manter uma população inteira na ignorância e promover o preconceito racial. Afinal, por que o povo brasileiro precisaria saber de uma notícia dessas? Para que saber mais sobre a cultura do nosso próprio povo, nossas próprias origens. É muito mais importante saber os detalhes da guerra no Iraq, ou da bomba que explodiu lá do outro lado do mundo, num lugar que até então você nunca nem tinha ouvido falar.

O fato é: Achei interessante saber que existe Jogos dos Povos Indígenas e resolvi pesquisar em sites brasileiros. Achei muito pouca coisa sobre o assunto. Então resolvi procurar em inglês (Indigenous Nations Games) e achei uma quantidade muito maior de informação, fotografias e vídeos. Isso prova que a minha teoria é correta: é preciso sair so seu próprio país para aprender mais sobre ele, sobre as suas culturas.

Os Jogos Indígenas começaram em 1996 e são jogos anuais. Algumas modalidades da competição se parecem com o que conhecemos, como futebol, natação e algumas provas de atletismo, como arremeço de dardo (nesse caso é arremeço de lança), corrida dos 100 metros. Agora, interessante mesmo são as modalidades exclusivas: cabo de guerra, arco e flecha, corrida da tora de buriti, canoagem, jikunahati, peikrân, luta corporal, entre outras.

  • Arco e flecha e canoagem dispensam explicação. Você também deve se lembrar dos tempos da escola, de brincar de cabo de guerra: uma corda e dois times, um de cada lado, puxando pra valer. Ganha o time que arrastar o adversário sobre a linha central.
  • A corrida com tora é novidade para mim. O time tem que correr carregando uma tora de mais ou menos 100 kg nos ombros.
  • O jikunahati é um jogo que lembra um pouco o futebol, mas ao invés de chutar a bola com os pés, só pode usar a cabeça.
  • Já o peikrãn, pelo que ví no vídeo, é um jogo de peteca, mas o cara que deixa a peteca cair tem que sair correndo feito um louco porque todos os outros saem correndo atrás dele até derrubá-lo no chão.

Também vale mencionar que há categorias masculinas, femininas e algumas vezes até alguma coisa infantil. Eu imaginava por exemplo que a corrida com tora de 100kg era coisa só para homens, mas fiquei impressionada ao ver uma foto do time feminino correndo com o trambolho nas costas.

Participam tribos de vários países, não só tribos brasileiras, no entanto vejo que o local dos jogos é sempre em território brasileiro: Pará, Goiás, Tocantins, Pernambuco, Bahia, Ceará. Os jogos de 2013 foram em novembro, em Cuiabá no Mato Grosso. Tribos de 16 países participaram, mais de 48 etnias e 1500 jogadores. Nativos (índios) dos Estados Unidos, Canadá e Noruega também foram convidados para participar. (Se você está se perguntando se na Noruega tem tribo indígina, pesquise sobre os Sámi – nativos da Noruega, Suécia, Finlândia e partes da Rússia)

Nesse link aqui tem uma versão mais completa do vídeo acima, incluindo entrevistas em português.

Também achei um vídeo da FIFA falando sobre o futebol nas competições indígenas. Achei bacana ouvir sobre o desenvolvimento do esporte entre os índios.

Mas o que eu gostei mesmo, foi assistir a um documentário gravado em 2010, quando a competição foi em Pernambuco – Olinda e Recife. Muito bem feito o documentário. Caso interesse, aqui vão os links:
parte 1  mostra a escolha do lugar
parte 2  mostra a importância do artesanato
parte 3  mostra as modalidades desportivas da competição
parte 4  termina de mostrar as modalidades
parte 5  mostra a entrega das medalhas para todos os participantes e o encerramento

É isso, só queria dividir com você essa informação. Espero que tenha gostado da postagem.  Pode ser que no Brasil agora haja mais divulgação dos jogos indígenas, mas como estou fora do país desde 2001, ando desatualizada.

Fontes utilizadas para escrever o texto: Brasilescola.com, jornal The Guardian

As fotos foram emprestadas dos seguintes sites: jornal Telegraph e Reuters.com
Aliás, tem umas fotos muito bonitas nesses dois sites. Vale a pena conferir.

6 thoughts on “Todas as tribos

  1. Eu até já tinha ouvido falar… Mas realmente, são aquelas reportagens de 3 minutos…
    Aliás, faz anos que não vejo um indígena em Paranaguá…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *