História das Marias

Ontem eu descobri algo novo sobre a enroladíssima história da família real. História essa que certamente vai para os futuros livros de história da Dinamarca.

Eu imagino que a história pode ser contada da seguinte maneira:

Era uma vez dois irmãos, Joachim e Frederik, filhos da raínha da Dinamarca. Frederico é o mais velho e o herdeiro do trono, Joaquim é o mais novo e é o, digamos, reserva.

3

A diferença de idade entre os irmãos é de apenas 1 ano, mesmo assim o irmão mais novo, Joaquim, se casou 9 anos antes de Frederico.

Joaquim conheceu Alexandra numa festa em Hong Kong e com ela se casou em maio de 1995.

4

Já Frederico demorou uma eternidade para encontrar a tampa para sua panela. Foi numa viagem para a Austrália em 2003 que ele conheceu Mary. E esse encontro é para ninguém botar defeito, pois pareceu até um conto de fadas: durante a paquera ela não sabia que ele era o príncipe herdeiro do trono dinamarquês.

Em maio de 2004 eles se casaram.

Uns meses mais tarde nesse mesmo ano, o irmão, Joaquim, anuncia que vai se separar de Alexandra. E o divórcio é definitivo em 2005. Nesse momento entra para a história da família real algo chamado divórcio.

Mas a enrolação mesmo começa 2 anos mais tarde.

Eis que em 2007 Joaquim encontra uma moça francesa e em maio de 2008 eles se casam. Não há nada de errado nisso. O problema é que a nova esposa de Joaquim é praticamente “igual” à esposa de Frederico. São realmente parecidíssimas (veja fotos abaixo) e tem mais:

Como se não bastasse que uma é a cara da outra, eu digo, a francesa de Joaquim se chama Marie. A australiada de Frederico, Mary. Traduzindo ambos os nomes para o português, o nome é o mesmo: Maria.
E ontem eu descobri mais um fato curioso nessa história. Ontem, 05 de fevereiro, foi o aniversário de Mary, e hoje é o aniversário de Marie. Fala sério? Isso é conhecidência demais.

Parecidas

A história da família real é a “novela” preferida de alguns dinamarquêses, que acompanham os babados diariamente. Várias pessoas me disseram que acham doentio isso, que Joaquim se separou logo em seguida que Frederico e Mary se conheceram, e que depois encontrou uma mulher “igual” à do irmão. Dá a impressão de que ele se apaixonou pela mulher do irmão.

Mas se é ciume, inveja, desejos ardentes ou coincidência, isso ninguém sabe, mas que essa história toda vai parar nos livros do futuro, disso eu não tenho dúvidas.

Esta entrada foi publicada em Família real. ligação permanente.

2 Responses to História das Marias

  1. Odorico Paraguaçu diz:

    OOOhh doido, hehe acho que ele ainda gosta da 1ª mulher

    ohhh!! vida loca essa hein

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *