Ano Novo

Um ótimo 2019 para todos nós. Tudo que desejo é saúde – porque pra todo o resto a gente dá um jeito.

Passei o Réveillon sozinha, no meu apartamento em Copenhague. São quase 19 anos aqui, e essa é a primeira vez que passei a virada na cidade.

Recebi vários convites para festas, mas resolvi passar esse ano em completa introspecção. Aliás, um dos convites foi de uma amiga que mora perto dos lagos de Copenhague. Dizem que os fogos vistos de lá são muito bonitos. Eu imagino que sim. Eu morei por 4 anos perto daquele lago, e nunca fui lá num ano novo. Esse ano teria sido uma ótima oportunidade, mas, por outro lado, eu queria ver os fogos do meu ap.

Moro no quinto andar de um prédio e tenho uma vista privilegiada. Daqui posso ver várias cidadezinhas e bairros de Copenhague. Como talvez em breve eu tenha que me mudar daqui e achar um lugar mais barato, achei que esse ano seria uma oportunidade única para apreciar os fogos daqui.

Olha, fiquei impressionada com os fogos em Copenhague. Superou expectativas. Normalmente passo o ano novo fora, ou viajando, ou no interior, visitando a família do Carsten ou na nossa antiga casa, quando éramos casados. Descobri que no interior o povo não investe em fogos. O povo compra alguns fogos para se divertir, mas nada muito espetacular. Talvez por isso sempre achei a virada do ano na Dinamarca meio chinfrim, com poucos fogos. E talvez por esse mesmo motivo eu sempre procurei viajar para lugares que tem show pirotécnico bonito. Porque eu sou fã de ver fogos.

Mas esse ano, Copenhague me surpreendeu. Não é nada planejado, cronometrado, com cores maravilhosas, como no Rio, Londres, Sidney. É tudo uma mistureba de fogos soltos à torta e à direita, mas a quantidade de fogos, me deixou boquiaberta. O povo da cidade gasta uma fortuna em fogos.

Assim que escureceu, 4 da tarde, começou. Uns aqui, outros ali. A princípio eu estava pensando que estavam somente testando alguns fogos, mas nunca parou. Foi assim, soltando fogos o tempo todo das 4 da tarde até 1 da manhã. Os 45 minutos depois da meia-noite foram fenomenais. Era um mar de fogos por todos os lados, e gente nas sacadas dos apartamentos com cornetinhas, apitando sem parar.

E eu já estava embalada. Pois abri minha espumante 9 da noite. Eu nunca fui muito de convenções. Quem disse que só se pode fazer isso em determinado horário, ou fazer assim ou assado? Se podem soltar fogos sem parar desde 4 da tarde, torturando os pobres dos cachorros da vizinhança, então eu também posso passar meu reveillon na banheira tomando espumante nove da noite! Afinal, nove da noite aqui é meia-noite em algum outro lugar do mundo!

Para matar do coração o povo que gosta de convenções: passei minha virada de pijama azul, comi caranguejo, e tomei espumante italiana baratinha! E que venha 2019 com tudo, que eu estou pronta, armada até os dentes!

Depois dos tombos que tomei em 2018, em 2019 ninguém me derruba!

This entry was posted in Cá entre nós. Bookmark the permalink.

4 Responses to Ano Novo

  1. Comedor de Panetone says:

    Feliz 2019, tudo de bom, to na Índia, comendo caranguejo. hehehe

    brincando, to é no trampo, hehehe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *