Três vezes

Passei o dia rodando os cinco vilarejos conhecidos como Cinque Terre.

Ia de trem de estação em estação, dava uma olhada rápida na vila e já ia pra outra.

Na verdade eu estava esperando o sol baixar um pouco para fazer a trilha a pé entre a vila de Corniglia e Vernazza.

Mesmo em torno das 4 da tarde, o sol estava matando.

Quando estava terminando a trilha, um cara de chapéu cinza me falou assim: essa é a terceira vez que cruzamos caminho.

Ele e sua acompanhante estavam começando a trilha, mas indo na direção oposta.

E eles ainda falaram assim: você está na vila Monterosso, né?

Caraca. Nego que a gente nem conhece sabe onde estou hospedada e por onde andei? Logo eu, que achava que passaria despercebida, já que estava vestida bem fuleira.

Impressionante eles terem me reconhecido após uma trilha onde eu estava suada, descabelada e empoeirada.

E o pior é que eu me lembrei do cara. Ou melhor, me lembrei do chapéu dele. Lembro que pensei que eu tinha um chapéu parecido em casa! Rsrs

A tursita que tirou minha foto, nem pra tirar com foco ela se esforçou!
Esta entrada foi publicada em Viagens com as tags . ligação permanente.

6 Responses to Três vezes

  1. Seu Madruga diz:

    Corra, saia logo desse lugar, deve ser povo doido, já assisti filmes com essa pegada, hehehehe.
    Dúvida do dia, vc está usando drone? ou está viajando com mais alguém?
    Pergunta do dia, quem tirou a foto!!!
    Caraca maluco, isso está muito sinistro hein.
    se cuida e boas férias

    • Cristiane diz:

      Não estou usando drone e não estou viajando com ninguém. Uma turista se ofereceu para tirar a foto.

      • Seu Madruga diz:

        Poxa vida.
        está tudo bem por aí?

        • Cristiane diz:

          Sim. Eu viajo sozinha há uns sete anos. É raro eu conseguir encontrar alguém que tenha disponibilidade para me acompanhar nas minhas viagens. O jeito é tentar aproveitar sozinha mesmo. Senão, a opção é ficar em casa.

          • Seu Madruga diz:

            To querendo comprar um Fusca e transforma-lo em motorhome, kkkkk doidera. mas é um sonho distante, mesmo sonho d eir morar na itália. mas já é um começo

          • Cristiane diz:

            Lembrei desse teu comentário de transformar um fusca num motor home hoje. Passei por um mustang que participa de corridas de 6 mil a 12 mil km por vez. Deu pra ver direitinho como o cara coloca as bagagens dele viver no carro por um mês inteiro. Bem doideira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.