Remelexo

Aproveitando que estou no Brasil, pensei que eu poderia ver onde tem forró em São Paulo. Eu nunca dancei forró aqui e me indicaram o Canto da Ema e o Remelexo.

Ambos ficam pras bandas de Pinheiros, ou seja, super longe de Guaruhos.

Eu escolhi o Remelexo por causa da programação no dia 23. Quatro das bandas agendadas eu já conhecia, da turnê deles na Europa nos festivais de forró por lá.

Custou uma fortuna de Uber. Quase uma hora para chegar no lugar.

Cheguei 9 da noite e o Trio Alvorada estava se preparando para tocar.

Eu dancei bastante até. O segundo a tocar foi Nando Nogueira. Os shows dele na EU sempre foram de arrasar, mas anteontem achei que havia algo errado. Acho que o som não estava bom.

O próximo a tocar foi Coisa de Zé. Eu não estava nada animada para o show deles, porque na turnê europeia eles não me agradaram, mas ontem eles me fizeram mudar de opinião. Foi o melhor show da noite. Muito animado.

A prioridade era o show do Dona Zefa, que eu adoro. Esse ano eles foram para o festival na Suíça, mas como eu já tinha passagem para férias na Itália, perdi do show deles. Então anteontem eu achava que mataria a saudade.

Não sei o que aconteceu, no entanto. Eu não estava curtindo do show do D. Zefa. Não sei se era porque eu estava me sentindo muito cansada, ou talvez porque senti um pouco de dor nas costas e minhas pernas não aguentavam mais dançar. Pode também ter sido a seleção de músicas que eles escolheram. Eu achei que não estava tão animado como costuma ser e resolvi pegar meu casaco e ir embora. Eram duas da manhã quando fui embora.

Não me arrependi de ir embora cedo. Eu já tinha me divertido e dançado bastante. Achei que o nível dos dançarinos variava bastante. Dancei com muito homem baixinho. Estou acostumada a dançar com alemães altos. Foi meio estranho dançar com homem tão baixinho que o nariz deles ficava no meio do meu busto.

E eu que achava que não encontraria ninguém de conhecido lá… Pois esbarrei em outro forrozeiros europeu no Remelexo. Olhei bem e falei, Marquinhos? Ele é professor de forró em Portugal mas foi várias vezes em Copenhague dar aulas para o nosso grupo. Ô mundo pequeno!

Sabe uma coisa que percebi… Eu não estou mais acostumada com o povo que fica se beijando no meio do salão. Normal aqui no Brasil, eu lembro, mas isso raramente acontece na Europa. Claro que o povo lá se pega, mas eles fazem mais na surdina.

Dessa vez eu não dei uma bitoca em ninguém. Fica pra próxima! rsrs

Esta entrada foi publicada em Forró, Viagens. ligação permanente.

4 Responses to Remelexo

  1. Seu Madruga diz:

    Se tem povo se beijando ou se pegando na rua de outros paises pode ter certeza que é brasileiro, kkkk, aqui o povo vão para as baladas já passam protetor bocal e labial pq a parada é punk, fim de noite os lábios parecem que receberam uma injeção de botox, ou uma ferroada de marimbondo.
    Brasil só tem tekitos, tudo guapeca, máximo uns 1,65m altura, o bom que vc pode conduzir o danado levemente pelo salão.

    • Cristiane diz:

      Você vai ter que me explicar o que é Tekito. Não conheço esse nome.
      Dançar com cara baixinho me dá agonia. Uma, porque o cara fica com o nariz no meio do peitchão; outra, porque a púbis do cara fica perto do meu joelho e eu tenho medo de dar uma joelhada nas bolas do cara. Já pensou um acidente desses no meio do salão?

      • Seu Madruga diz:

        Tekito = pequeno (acho que essa palavra é minha, só eu uso) kkkkk.
        Homem pequeno é bom que você pode colocar ele nas costas, no colo, na cadeirinha, no tico tico e sair por aí, é prático, fora que consome pouco, uma papinha já resolve., hehehehe

  2. Pingback: Hamburgo | Cris.dk

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *