Hospital público

Para quem quer ter uma idéia do tratamento nos hospitais públicos da Dinamarca.

Ontem de noite, domingo, telefonei para o Rigshospitalet, onde fiz minha cirurgia, para dizer que eu tinha sintomas de trombose. Perguntei se era para eu ir para o hospital imediatamente ou esperar para falar com meu clínico geral na manhã seguinte.

O médico do hospital queria que eu fosse diagnosticada ainda naquela noite, mas eles não podiam me ajudar por duas razões: eles são do departamento de ginecologia e o Rigshospitalet não é o hospital da minha região.

Me mandaram ligar para a central de médicos de plantão, que me encaminhou para o pronto-socorro do hospital Hillerød – 30 minutos de carro de casa – já que eles fecharam o meu hospital local para combinar tudo num “super” hospital regional (uma palhaçada, na minha opinião).

Quase duas horas aguardando atendimento mais duas horas aguardando o resultado de um teste de tempo de coagulação

Duas da manhã, a médica ou residente de plantão me diz que meu tempo de coagulação está elevado, e baseado nos meus sintomas, ela não pode nem confirmar nem excluir a possibilidade de um coágulo estar alojado na perna. Que era para eu ir para casa e voltar no dia seguinte para fazer uma sonografia.

Se não era para fazer o teste confirmatório na mesma noite, para quê me mandar para o pronto-socorro no meio da noite?

image

10:15 da manhã cheguei de volta ao hospital. Nesse momento são 11:05, estou sentada na sala de espera, onde tem, sem brincadeira, gente roncando e babando na cadeira, e eu continuo esperando pela sonografia.

O pior é saber que depois do procedimento tenho que voltar no pronto-socorro e esperar horas até que um médico tenha tempo para olhar o resultado e me dar uma resposta.

2 thoughts on “Hospital público

    • Santa mãe do céu, estou vendo que eu deveria estar contente por aqui não estar tão mal assim. Nossa senhora. Fiquei chocada.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *