Donkey Republic

Todos esses anos, e o povo dizendo que o melhor modo de se locomover em Copenhague é de bicicleta. Morando na Dinamarca há mais de 17 anos, e só agora pude comprovar que é verdade. Bicicleta para mim, era algo que eu mantinha no porão, para alguma emergência.

De carro leva tempo demais por causa de trânsito, sinaleiros e depois, leva uma eternidade procurando lugar para estacionar.

Com busão, metrô ou trem, além do tempo de transporte, tem que contar o tempo que leva andando até a estação ou ponto e o tempo de espera.

Eu nunca tinha andado de bike, porque achava que seria um martírio. Aqui chove o tempo todo no verão, está sempre um vendaval (e pedalar contra o vento é uma grande M) e no inverno, congelo só de pensar em sair de bike.

Mas nessa primavera (2018) está fazendo um calorão infernal. Faz dois meses que não chove, e tem muito pouco vento. Durante esse tempo apareceu também um novo sistema de aluguel de bicicletas, mais barato que o sistema das city bikes. O novo sistema é de uma empresa chamada Donkey Republic.

Aproveitei então para provar o sistema de aluguel deles, e aluguei uma bicicleta. Tenho aproveitado o bom tempo para pedalar pra tudo quanto é canto. Um dia pedalei 32 km. Fui até a praia. Foi um dia muito gostoso.

De bicicleta a gente descobre lugares onde os carros não vão, e eu curto demais esse negócio de achar lugares novos.

E estou pasma em descobrir o quanto mais rápido é chegar nos lugares de bicicleta, e olha que eu padalo bem devagar. Um exemplo: do meu cafofo até a yoga, de transporte público me leva de 35 a 45 minutos. De bicicleta chego lá em 18 minutos!!

Diferença brutal.

Mas quando o tempo está ruim, frio e chuva, esses 18 minutos duram uma eternidade. Senti isso ontem! Não estava previsto chuva essa semana, saí de casa com roupitcha normal. Mas me faltou sorte em grande estilo. Voltar pra casa de bike foi um martírio. Eu tremia de frio. Sem falar que eu não enxergava nada. Chuva e óculos são duas coisas que não combinam.

Bom, renovei minha mensalidade do aluguel da magrela. Vamos ver se eu consigo manter o ritmo de usar bike o verão todo.

Andar de bike é bom para pegar um ar fresco, fazer um pouco de exercício, chegar mais rápido no seu destino, mas também não é aquele mar de rosas.

A quantidade de bikes nas ciclovias da cidade é inacreditável. Tem gente que te corta, que te empurra. Eles não estão nem um pouco preocupados se você vai cair e se quebrar todo.

Sem falar nos carros estacionados. Os caras estacionam ao lado da ciclovia, abrem a porta do carro com tudo, sem pensar que está vindo uma bicicleta.

E os motoristas doidos que esquecem que têm que parar para as bicicletas (bicicleta e pedestre aqui tem prioridade). Então todo cuidado é pouco.

Mesmo com todos os inconveniêntes, estou adorando. É como se estivesse conhecendo uma nova Copenhague. Pelo menos, por um ponto de vista diferente, sobre duas rodas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *