Peregrinação

Essa viagem para Suíça foi tão bacana, que no meu último dia, meu coração estava dividido entre fazer uma última trilha curta de despedida ou descer para a vila de Weggis e tomar outro banho no lago gelado.

Como estava fazendo 32 graus, escolhi a segunda opção.

Tomei meu café da manhã, me despedi da anfitriã do Airbnb onde fiquei hospedada e comecei a peregrinação para voltar para a Dinamarca.

Acho que nesse dia peguei toda forma de transporte público existente: teleférico para descer da montanha, barca para chegar a Lucerne, trem para Zurique, avião para Copenhague, metrô e busão para o cafofo da tia Cris.

Em Weggis fui para o mesmo lugar onde tinha tido o festival de forró, na beira do lago, no píer. Larguei minhas coisas ali e dei vários mergulhos. Eu tinha duas horas para matar, mas passou rápido.

Primeiro eu estava meio tímida, receosa de pular na água gelada. Observando a água, de repente chegou um monte de peixe bem ali onde eu estava.

E coragem de pular na água no meio daquela peixarada? Cadê?

Mas daí veio na memória algo que me disseram na semana anterior, quando eu estava na praia em Portugal.

Eu estava com um grupo da Bélgica sentada na praia e a água do mar em Portugal é fria pra dedéu. Eu não estava com coragem para entrar.

Nesse dia o povo já estava sabendo que eu tinha feito paraquedismo. Foi aí que chegou uma família com uma criança pequena. A menininha entrou na água toda contente, brincando, e ficou ali. O povo começou então a me sacanear dizendo que a menininha tinha mais coragem que uma “paraquedista” brasileira.

Pô. Sacanagem. Quando falam dessa maneira, tive que tirar coragem do fiofó e pular naquela água.

E foi o mesmo que fiz em Weggis. Achei a coragem e pulei no meio dos peixes.

Saí com uns arranhões na pele mas não me arrependo. Uma, porque aquele lugar paradisíaco tem que ser aproveitado ao máximo, outra porque eu não sei se algum dia terei essa oportunidade novamente, e última, a água em Weggis estava bem menos gelada nesse dia! Foi fenomenal e uma ótima maneira de terminar a viagem com chave de ouro.

This entry was posted in Viagens. Bookmark the permalink.

2 Responses to Peregrinação

  1. Cabeça Disneyssauro says:

    Não acredito que vc é Maria vai com as outras, kkkk, cair na pilha de uma família da Bélgica, nem ferrando entrava numa água gelada, já é difícil tomar banho na água quentinha (quando sai gela tudo) hehehe, isso no inverno rigoroso dessa incrível cidade, imagine aí, hehehehe, mandava ir comer x burger.
    Mas me diga, como conseguiu os arranhões na pele (pulando na água gelada, não vai me dizer que a água estava congelada e vc se feriu no gelo.
    Mas agora está salva e tranquila pegando bike para papear, hum, estranho isso hein, hehehe

  2. Cristiane says:

    Boa pergunta sobre os arranhões.
    No primeiro dia que pulei naquele lago, foi um pulo só e percebi um arranhão enorme na minha perna logo em seguida. Não tinha entendido nada.
    Nesse dia que fui embora, eu pulei na água várias vezes, e tive mais tempo para observar.
    A água é super limpa, mas percebi que quando passam as balsas, sobe umas coisas, tipo graveto de árvore, pedaço de pau, uns matinhos e sujeira que sobe do fundo do lago. Acho que quando pulo na água, essas coisas batem na pele e causam os arranhões.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *