Siena e Monteriggioni

Continuando descrevendo os últimos momentos da viagem à Itália…

O passeio foi até Siena, onde pegamos uma guia local que, segundo outros brasileiros nos acompanhando, se esqueceu de que estava guiando um grupo grande e saiu desvairada pela cidade afora falando no microfone e nem sequer olhando para ver se o povo a estava companhando. Coitados dos velhinhos, subindo as ladeiras de Siena e tentando manter o passo.

Nessas alturas já estávamos pedindo arrego. Ninguém aguentava mais andar e a última parte do passeio era uma subidinha até a igreja principal. Mas quem aguenta? Nós abandonamos o grupo e arriamos na praça mesmo, onde nos estiramos no chão, tomando um sorvete.

Como não dá para ir até Siena e nem sequer dar uma espiada na igreja, depois do descanso fizemos um esforço para subir aquela ladeira. A igreja é realmente linda. Vale a pena.

Esgotados, cruzamos Siena inteira novamente para voltar para o estacionamento e pegar o ônibus.

Eu olhava para a expressão do povo. Estavam todos um bagaço. Dava pena de ver a cara de desespero deles quando ficaram sabendo que Siena não era a última parada, mas que ainda visitaríamos o forte de Monteriggioni.

Juro, teve gente que nem saiu do ônibus quando chegamos no forte – o que foi pena, porque o local é muito agradável. Tão bonito que eu gostaria de ter passado mais tempo lá. Como nos atrasamos em Siena, só tivemos uns 20 minutos para passear no forte. Eu diria que, se você estiver fazendo o passeio em carro, por conta própria, se programe para passar algumas horas no local e talvez até jantar por lá.

E esse foi o último passeio na Itália.

No dia seguinte retornamos para Milão, onde tínhamos planos de voltar para ver a catedral (e entrar nela), mas estava chovendo horrores e resolvemos ir direto para o aeroporto, onde passamos umas 4 horas esperando dar o horário do vôo.

Eu achei que foi uma viagem supimpa, mesmo com braço quebrado e bagagem extraviada.

A Itália é linda demais, mas também é muito cara. Tem que vir preparado. Dizem que no sul da Itália é mais barato, lá pros lados da Puglia ou na Sicília. Eu não conheço. Quem sabe da próxima vez incluo esses lugares no roteiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *